O novo tipo de seleção de talentos realizado pelas empresas

0
204

A NOVA SELEÇÃO|

Buscar uma nova colocação no mercado de trabalho não é uma tarefa fácil. Elaborar currículo, preparar portfólio, escrever carta de apresentação, participar de dinâmicas e entrevistas, enfim, são muitos os passos a seguir nessa jornada.

Anos atrás para se conseguir uma recolocação bastava o candidato possuir uma boa formação acadêmica ou anos de experiência na sua área. Aquele que possuía os dois requisitos já era considerado um privilegiado. Com advento da globalização, aproximando as economias e consequentemente as culturas, as organizações buscam profissionais com novas qualificações.


A Revolução Industrial impactou uma geração, hoje vivenciamos uma nova revolução, a Revolução do Saber. Estamos na era do conhecimento, onde a competência das pessoas são também colocadas na balança e pesadas na hora da contratação.
Quando falamos de conhecimento vamos além do entendimento técnico, incluímos nesse pacote as vivências do candidato. O conjunto de características pessoais e profissionais que geram as habilidades de cada um. Escrever um blog, cantar em um coral, lecionar para crianças carentes, ter uma banda, defender uma causa, jogar basquete, organizar festas para os amigos, viagens culturais, ter uma comunidade no Facebook, atividades antes ignoradas pelas organizações tornam-se elementos importantes no processo de seleção.

Nesse novo cenário os profissionais buscam a formação continuada e para a atualização constante utilizam-se dos cursos tradicionais em escolas e faculdades, mas, também investem na leitura de livros, revistas, jornais, conversas com outros profissionais, internet, utilizando cada vez mais as redes sociais. Trata-se de uma geração autodidata, onde a educação ocorre de forma interativa.

Atuando como professora,  percebi que grande parte dos meus alunos utiliza o Facebook para reunir os grupos de estudo e assim desenvolverem os trabalhos acadêmicos. Como experiência agendei uma aula na rede social e a participação foi de 82% um aumento de 12% em relação ás aulas convencionais. Transmiti a experiência a outros colegas e hoje alguns deles já incluíram no seu planejamento encontros virtuais. Recentemente em um bate papo informal com um gestor de cursos de pós-graduação acabei por assumir o trabalho de escrever para o portal de educação à distância da instituição, tudo num simples clique.

Participar dos novos processos seletivos passa a ser uma experiência enriquecedora. Trata-se de um processo contemporâneo, onde a formação técnica, a experiência profissional, competências e a personalidade são integradas e consideradas no processo de avaliação dos candidatos. Elimina-se a distância entre entrevistado e entrevistadores, tornando o canal de comunicação mais produtivo e eficaz. Perguntas e respostas fluem naturalmente. Recente vi uma reportagem que relatava que  Angels Investores em um bar ouvem, em uma conversa informal, ideias para novos projetos. Para estes investidores não apenas a ideia era importante, mas também conhecer o perfil do criador desta. Ou seja, não basta uma ideia boa, é necessário que o empreendedor também seja uma pessoa interessante, agregadora de valores.

Organizações atuais demonstram que, além da formação e experiência profissional, o candidato deve ter a capacidade de interagir com as pessoas, dialogar com outras culturas, ler, ouvir músicas, ser informado, estar aberto a novas vivências, ser útil, pensar de forma “contemporânea” (dentro de um contexto digital), ter a capacidade de unir competências de áreas inicialmente divergentes, ser inovador, criativo, ter boa comunicação, trabalhar em equipe, ter espírito de liderança, ser ético, empreendedor, dentre outras competências. As empresas estão inseridas em ambiente de constante mudança, influenciando e sofrendo influência e por isso desejam profissionais preparados para este novo universo.

Por outro lado, os novos profissionais, também possuem anseios diante do mundo coorporativo. Bons colaboradores desejam atuar em instituições promissoras, que enxergam as mudanças que ocorrem no mundo e dialogam com elas, trazendo para dentro da organização os reflexos dessas transformações. Mais que um bom salário e um plano de benéficos atrativos, as pessoas desejam o reconhecimento, a participação no processo produtivo, a utilização das suas competências nas atividades desenvolvidas. Estamos mais criativos, existe uma sede de inovação, de atuar de uma forma participativa. A história, o porte, os produtos, as noticias, os principais concorrentes, são pontos estudados pelos candidatos na hora de participarem de um processo seletivo. As organizações são construídas pelas pessoas que nelas atuam e as pessoas descobriram isso. Hoje, tão importante quanto a remuneração é saber se a equipe a ingressar é vencedora ou tem potencial para vencer. Deparamos com instituições com produtos altamente promissores, mas de pensamento estático, outras estão bem atualizadas, todavia, não possuem boa equipe ou produtos de bom nível. Encontrar uma organização composta por um time coeso, contemporâneo, de crescimento constante, somado com um produto promissor é o que almeja todo profissional.
Surge um novo público, os jovens já começam a se preocupar com o amanhã, a nova economia traz também novos mercados, nesse contexto, o profissional encontra a possibilidade de aprimoramento, de crescimento, de inovação, de fazer parte de um time vencedor.

Organizações que compreendem a nova linguagem que surge profissionais que também consigam se comunicar nessa língua. O encontro do par perfeito envolve critérios de seleção e avaliação minuciosos de ambas as partes, que ao final garantem satisfação conjunta.

Estamos todos na estação. Olhem para os lados e vejam os outros viajantes, todos, a espera de encontrarem uma terra fértil, onde a semente do sucesso é o conhecimento e as mil formas de utiliza-lo. Conhecimento gerado da interação entre organização e pessoas, entre formação e vivência. Se você está  de malas prontas na estação, a espera do próximo trem, com a passagem nas mãos, embarque nessa viagem rumo ao sucesso.


Sandra Reniê| Professora

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA